segunda-feira, 29 de maio de 2017

Probabilidade Improvável


Eu não sou eu mesmo 
Eu sou meu pai e minha mãe
Eu sou meus ancestrais 
E sendo um pouco de cada um
Não sou nenhum deles 
E assim, faço-me mim mesmo

O espermatozoide que deu origem ao meu corpo
Era apenas um em milhões
Multiplicado pelas chances dos ancestrais
A probabilidade de eu existir é quase nula,
Mas em absoluto, eu existo (eu acho) 
E o que isso tudo faz de nós especiais?

E perco noites e noites de sono
Pensando se tudo isso é o acaso
Ou se há algo por trás dessa improbabilidade
Nunca chego a resposta alguma 
Não prego o olho hora nenhuma 
Até que chegue o alvorecer

Nenhum comentário: