segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Minha trajetória em poesias

Caramba. Eu estava vendo umas poesias em páginas mais antigas e percebi como o Blog realmente é um diário público. Dá para perceber a trajetória e transformação do meu pensamento ao longo do tempo. Se você ler meu blog, a partir de agora, para as anteriores, você vai ver que antigamente eu tinha um pensamento mais espiritualista. Hoje eu sou mais materialista. Eu até tinha esquecido que essa mudança não ocorreu faz muito tempo, dada a minha habituação à nova forma de pensar. É, as coisas mudam. Tenho até poesia expressando meu sofrimento com a graduação de matemática. Agora que o sofrimento já passou, ele parece nunca ter existido. HAHAHAHAHAHA!

As coisas vão acontecendo na nossa vida, encontramos em algum momento as contradições e vamos desenvolvendo a nós mesmos. Outra coisa que eu percebi, é que, a maioria das postagens depois que transformei o Somalifortress em Devaneios Cabeludos, são poesias. Mas minhas produções não se limitam apenas a esse formato.

Daqui pra frente vou passar a colocar alguns textos também que produzo e produzi. Eu tenho algumas coisas também no formato de vídeo, mas esses eu vou precisar tirar a poeira, e colocar a mão na massa para fazer a edição.

Enquanto isso, se vocês quiserem ver alguns vídeos meus que produzi e editei no passado, deem uma olhada nos meus dois canais do Youtube:

a) Canal do Fausto Moraes

b) FaustolinoLOL

(Nessa época, LOL só significava Laugh out Loud...)

sábado, 10 de setembro de 2016

Coração de Porcelana

Quem dera eu ter habilidade
Para transformar meus sentimentos em arte
E que o mundo os levasse a sério
Que não fossem pleno mistério

Enquanto tu precisas provar para os outros
Que tu és forte, forte como um touro
Eu só preciso provar para mim 
Que eu posso me tornar forte sim

E precisando provar para os outros
Tu só provas que és uma fraca
Tua dor te machuca e te marca
Tua imaturidade te leva aos loucos

Tu tinhas razão: eras mesmo só uma menininha
Tu fizeste de mim sua escrivaninha
Porque pensei que estavas à frente da sua idade
Mas não, enganei-me com a tua singularidade

Eu sou um jovem que sempre ama
Eu tenho um coração de porcelana
Que se quebra facilmente
Com suas atitudes doentes

Mas tornar-me-ei forte 
Sem ser um belo canalha 
Meu coração tornar-se-á uma muralha
E jamais cederá a qualquer corte

Deste dia em diante te desejo sorte
Pois não conseguirás tal feito parecido
Se para ti, a aparência de forte basta 
Tornar-te-ás eternamente fraca

Um dia eu vou esquecer de ti 
Nem ao menos perceberei tuas ações infantis
Mas se descobrirem teu defeito que eu vi
Tu terás tua reputação por um triz

Ande, ande, siga avante
Não olhe para baixo desse mirante
A vida pode ser bela a cada instante
Também procuro meu lugar e ser significante.