sábado, 24 de dezembro de 2016

Andorinha Voa

Ah, Andorinha...
https://feitoandorinha.files.wordpress.com/2015/09/andorinha.pngImagino que tenhas te cansado
Não a culpo, mas sinto tua falta
De longe de onde estamos
A mais de 900 quilômetros

Te vejo apenas a voar
E teus voos, cada vez mais altos

Admiro cada vez mais tua beleza
Me encanta tua liderança e teu sorriso
Onde mais eu poderia ver?

Não resta dúvidas
Agora estamos muito diferentes
Imagino que tenhas medo de pousar aqui
Ainda, porém, tua imagem me transfere calma
Realmente eu sinto um frio na barriga
Ainda mais quando percebo teus trejeitos

Logo, Andorinha
Onde ouvirás a minha mensagem?
Belo é se, pensando como eu
Ajudas-me a perceber tua intenção
Na vontade de podermos um dia
Construir um belo ninho
Onde reine o Lar do Progredir Infinito

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Fébruo


Hoje eu estou com músicas na cabeça
Músicas de natal, músicas de amor
Vendo a semana passar diante dos meus olhos

Tudo o que eu queria de presente 
Era a dádiva do não sofrimento
Mas parece que é o mais humano sentimento
Que por contraste, te torna contente

De que adianta recitar poesia
Se estou de barriga e mente vazia
E no lugar do coração, um buraco;
De que adianta de tentar de novo 
Se a vontade foi pro saco?

Convicção eu tenho, para ser celibatário
Mas não para seguir o sacerdócio
Mas o meu corpo é muito mandatário
Mesmo assim, a sofrer, prefiro o ócio

Hoje estou com calor e o clima não ajuda
Eu queria fazer mais, mas a gana tá miúda
Eu quero dar sentido, mas na real, a vida é nula...


quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Considerações sobre a PEC 241 / PEC 55


sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Crise dos Vinte e Tantos


segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Minha trajetória em poesias

Caramba. Eu estava vendo umas poesias em páginas mais antigas e percebi como o Blog realmente é um diário público. Dá para perceber a trajetória e transformação do meu pensamento ao longo do tempo. Se você ler meu blog, a partir de agora, para as anteriores, você vai ver que antigamente eu tinha um pensamento mais espiritualista. Hoje eu sou mais materialista. Eu até tinha esquecido que essa mudança não ocorreu faz muito tempo, dada a minha habituação à nova forma de pensar. É, as coisas mudam. Tenho até poesia expressando meu sofrimento com a graduação de matemática. Agora que o sofrimento já passou, ele parece nunca ter existido. HAHAHAHAHAHA!

As coisas vão acontecendo na nossa vida, encontramos em algum momento as contradições e vamos desenvolvendo a nós mesmos. Outra coisa que eu percebi, é que, a maioria das postagens depois que transformei o Somalifortress em Devaneios Cabeludos, são poesias. Mas minhas produções não se limitam apenas a esse formato.

Daqui pra frente vou passar a colocar alguns textos também que produzo e produzi. Eu tenho algumas coisas também no formato de vídeo, mas esses eu vou precisar tirar a poeira, e colocar a mão na massa para fazer a edição.

Enquanto isso, se vocês quiserem ver alguns vídeos meus que produzi e editei no passado, deem uma olhada nos meus dois canais do Youtube:

a) Canal do Fausto Moraes

b) FaustolinoLOL

(Nessa época, LOL só significava Laugh out Loud...)

sábado, 10 de setembro de 2016

Coração de Porcelana

Quem dera eu ter habilidade
Para transformar meus sentimentos em arte
E que o mundo os levasse a sério
Que não fossem pleno mistério

Enquanto tu precisas provar para os outros
Que tu és forte, forte como um touro
Eu só preciso provar para mim 
Que eu posso me tornar forte sim

E precisando provar para os outros
Tu só provas que és uma fraca
Tua dor te machuca e te marca
Tua imaturidade te leva aos loucos

Tu tinhas razão: eras mesmo só uma menininha
Tu fizeste de mim sua escrivaninha
Porque pensei que estavas à frente da sua idade
Mas não, enganei-me com a tua singularidade

Eu sou um jovem que sempre ama
Eu tenho um coração de porcelana
Que se quebra facilmente
Com suas atitudes doentes

Mas tornar-me-ei forte 
Sem ser um belo canalha 
Meu coração tornar-se-á uma muralha
E jamais cederá a qualquer corte

Deste dia em diante te desejo sorte
Pois não conseguirás tal feito parecido
Se para ti, a aparência de forte basta 
Tornar-te-ás eternamente fraca

Um dia eu vou esquecer de ti 
Nem ao menos perceberei tuas ações infantis
Mas se descobrirem teu defeito que eu vi
Tu terás tua reputação por um triz

Ande, ande, siga avante
Não olhe para baixo desse mirante
A vida pode ser bela a cada instante
Também procuro meu lugar e ser significante.


sábado, 20 de agosto de 2016

Vapor Branco



Quando eu for para a guerra
Empunhando minha bandeira
Apontando para a frenteira
Quero ter um fone de ouvido

Quero ouvir música tranquila
Música que me lembra da paz
Paz pela qual eu e você lutamos
E de não valorizá-la, nós erramos

A música que guardo com carinho
Dos tempos de paz, nosso cantinho
Acho que sou sentimental demais

Muitos de nós somos sentimentais
Muitos de nós, somos até demais
E não há problema algum nisso...

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

E eu sonho

 
Sonho nos mais altos dos sonhos
Aquela luz guia, brilhante
Mas como toda luz, ofusca
E você precisa usar um óculos

Mas eu não queria usar óculos
E também não queria ser ofuscado
Quero eu próprio ser fonte de luz
E jamais deixar de novo ficar cego numa cruz

Mas sábio era Mario Quintana
Que preferia enxergar as dezenas de estrelas
Do que, por um acaso, ofuscar uma só delas

E sábio não sou nem um pouco
Cometo sempre o mesmo erro louco
Mas quero descansar...

Excessos



 Hoje a noite não tem luar
Acabou a energia da cidade
Todos fecharam o olho
Apenas eu estou de pé

Comigo mesmo a conversar
Mesmo eu na tenra idade
Pensando em busca da verdade
Deitado sem ao menos notar

E como nós perdemos tempo
Teorizando e conjecturando
Por que não simplesmente fazemos?

Seriam nossos medos
Que atrapalham nossos ledos?