terça-feira, 3 de março de 2015

Você é maluco?

- Fausto, você é maluco?

Veio um jovenzinho perguntar-me. Nesse instante meu cérebro gerou incontáveis impulsos elétricos, dando origem a um devaneio cabeludo. Parei por um segundo para pensar numa resposta.

Qual poderia ser o conceito de "maluquice" para uma criança de 12 anos? Seria uma pessoa que perdeu a noção da realidade? Mas será que uma criança tem definido o que é o conceito de realidade para si? Hm... talvez não poderia ser. Ou talvez poderia. 

Ou será que maluca, para ela, é a pessoa que, embora vive condicionada a uma cultura, sabe que ela não passa de mero conjunto de costumes subjetivos que poderiam simplesmente ser diferentes? E que sabendo disso não se importa com o pré-julgamento exercido pelos outros condicionados a essa cultura, com base nos padrões desses costumes?

Ou talvez... um palhaço sem maquiagem e roupas excêntricas, que procura fazer os outros se divertirem ao simular comportamentos ou inocência também à margem desses padrões? 

De fato, não sei o que leva uma criança de 12 anos a perguntar isso. Uma criança por volta dos seus 6 anos não faria esse tipo de pergunta, a não ser que esteja reproduzindo desde já os conceitos e/ou pré conceitos de seus pais ou família. Mas crianças de 6 anos, algumas apenas se divertem e ficam amigas do palhaço, outras morrem de medo dele devido a sua extravagância circense. 

A vida é assim. Cheia de opiniões. E naquele momento talvez eu tenha formulado uma boa resposta.

Por um momento eu pensei que pudesse fazer uma dessas piadas que, embora absurdas, você fica com uma expressão séria a ponto de parecer verdade para quem ouve: "Sim, sou assim porque tenho sangue laranja. Inclusive, tenho laudo médico para provar". Mas preferi dar uma de professor sério. 

Depois desse um segundo de devaneio, respondi:

- Minha criança! Não posso responder tal pergunta. Melhor deixar que os outros falem por mim e talvez você tire suas próprias conclusões.

Alguns diriam que têm certeza que sou "maluco". Outros diriam que eu só "me faço". Mas sabe... talvez uma resposta melhor seria: "Eu sou feliz". Isso sim é o que realmente importa na vida de cada um.

Como trilha sonora desta postagem, deixo esta bela canção dos Mutantes, interpretada no vídeo pela Rita Lee. 


Atenção: isto é uma história de ficção. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.


Nenhum comentário: