domingo, 22 de fevereiro de 2015

Como ir da Física para a Metafísica

Dragão: Tô com fome. 
Texugo: Tem comida na geladeira.
D.: Ok

Dragão vai até a geladeira e percebe que tem uma batata doce inteira num prato de plástico. Como quer ficar monstrão, marombadão, pega o prato com a batata doce de primeira. 

Só que a batata doce não está centralizada no prato. Ela está em um dos lados dele, e Dragão pega ela de uma forma que faz com que a batata role no prato, causando a sensação de que ela iria cair. Mas ela não cai, simplesmente para no meio do prato.

Dragão: Caramba. Quase caiu a batata doce. Mas ficou bem no meio do prato.
Texugo: Mano, como isso aconteceu?
D.: Ora, porque a massa da batata doce simplesmente procurou distribuir o peso dela sobre o centro de gravidade do prato. 
T.: Pois é. Mas por que será que aconteceu isso, né?
D.: Ué, porque os corpos sempre procuram o equilíbrio. Se a batata doce ficasse daquele lado, o peso total no prato não estaria unifome.
T.: Mas por que será que a batata doce age assim, né? 
D.: Como assim?
T.: Assim como a batata doce no prato, uma corrente elétrica em duas linhas de transmissão "se divide" proporcionalmente à resistência presente nas duas, criando o equilíbrio. Isso acontece em tudo o que se conhece na física, até agora. Então todas as coisas do Universo buscam equilíbrio, e como o Universo é constituído de todas as coisas, então, na verdade, o próprio Universo busca o equilíbrio?
D.: Caraca! Verdade!
T.: Já tinha parado pra pensar nisso?
D.: Não. E será que existe algo por trás de tudo isso que motiva esse bailar harmonioso do Universo? Ou será que, como podem existir infinitas possibilidades, a física de um universo paralelo ao nosso funciona diferente e a batata doce fica de um dos lados do prato? 

O diálogo se extendeu por horas.

Nenhum comentário: